arf…

meu impulso-escritora ocorre quando:
a) estou triste
b) estou puta com alguma coisa
c) meu cotidiano é cômico.
mas isso não anda acontecendo…

***
será que sempre vai existir um poema do álvaro de campos para todas as minhas situações? e eu, que não gosto muito de poesia, me reconheço nesses poemas para me redimir? ou um diálogo entre o meu id e ego? e por que eu sempre apelo pra pscicologia barata?

Poema em Linha Reta
(Álvaro de Campos)

(…) E eu, tantas vezes reles, tantas vezes porco, tantas vezes vil,
Eu tantas vezes irrespondivelmente parasita,
Indesculpavelmente sujo.
Eu, que tantas vezes não tenho tido paciência para tomar banho,
Eu, que tantas vezes tenho sido ridículo, absurdo, (…)
Que tenho sofrido enxovalhos e calado,
Que quando não tenho calado, tenho sido mais ridículo ainda; (…)
Eu, que tenho sofrido a angústia das pequenas coisas ridículas,
Eu verifico que não tenho par nisto tudo neste mundo.

Toda a gente que eu conheço e que fala comigo
Nunca teve um ato ridículo, nunca sofreu enxovalho,
Nunca foi senão príncipe – todos eles príncipes – na vida…

Quem me dera ouvir de alguém a voz humana
Que confessasse não um pecado, mas uma infâmia;
Que contasse, não uma violência, mas uma covardia!
Não, são todos o Ideal, se os ouço e me falam.
Quem há neste largo mundo que me confesse que uma vez foi vil?
Ó principes, meus irmãos,

Arre, estou farto de semideuses!
Onde é que há gente no mundo? (…)

Anúncios