Charles Bukowski, gênio e rei da féladaputice
“Agora é comprovado científicamente, os “bad boys” se dão melhor com as mulheres.

Peter Jonason, da Universidade do Novo México, e sua equipe aplicaram um teste de personalidade a 200 estudantes e ficou registrada uma lógica que a rapaziada boazinha e amiga das garotas já sabia: quem realmente pega mulher são os féladaputa.

Chato isso, né?

Na verdade, não.

Pensa comigo, os féladaputa nem sempre são féladaputa. Parto da premissa que, pô, se você não mostra o mínimo de poder de decisão, confiança e, até mesmo, de auto-conhecimento e capacidade de desprendimento, não merece mesmo pegar ninguém.

Ser um féladaputa pode simplesmente ser uma forma de saber o que quer, afinal, ter atração por uma garota pode não significar necessariamente que você precisa planejar uma vida a dois, aceitar manias, forçar o apego e blábláblá.

E outra: se ela deixa rolar uma baratinada a dois, é direito dela. Mas, por outro lado, é dever não fornicar a paciência da rapaziada aparecendo “por acaso” no boteco onde você porreia com a moçada.
Lily Allen, protótipo de musa pop féladaputa
Parece machista esse discurso, e deve mesmo ser um pouco. Mas daí eu lembro: tá cheio de mulher féladaputa. E nós, moleques de tudo, adoramos essas aí. Tem como não gostar?

Portanto, o resultado da pesquisa deve dizer respeito à humanidade.

Agora me fala, um blogueiro passa duas semanas sem postar e, quando resolve trabalhar, escreve isso.

Que fase, haja terapia!

E você, rapaz ou rapariga, afinal, é féladaputa, mesmo que só de quando em vez?

por Nicolas Vargas
***
A tira mais triste de todos os tempos
***
1º dia: Acordei 13h40 e após tomar meu café, fiquei a tarde inteira na rede, lendo meus livros do Calvin. Entre uma tirinha e outra fiquei pensando…O que você faria se soubesse que seu futuro é previsível?

Anúncios