Pode até parecer loucura, mas quase perdi um namorado por causa de um antigo blog. Quando alguém escreve algo seja pessoal, sobre jornalismo, cultura pop, etc… muitas vezes nem imagina aquilo que deve mais temer, a interpretação de texto. Eu mesma já cai na cilada de ligar pra um (outro) namorado pedindo explicações de um texto mal interpretado. Expor uma opinião sobre determinado assunto, no caso música, é uma bomba que está prestes a explodir do fã mais xiita que ao invés de ler um texto acaba associando apenas duas coisas: está falando bem ou mal da banda que eu amo? Você pode ver isso claramente no texto do Bruno Medina quando ele fala sobre as bandas só aparecerem em terras tupiniquins em uma fase que não é lá das mais produtivas pra eles, o que por mais duro que seja é mais pura realidade. O Bon Jovi, por exemplo, foi a banda que mais faturou com shows em 2008, com turnês somente nos EUA e Europa. Quando deixar de faturar nesses países, certamente eles virão ao Brasil fazer shows. No caso, o Bruno definiu as bandas que estão no auge como sendo as do tipo A e as que não estão bombando como B, mesmo deixando claro que não signifique que as que estão no time B sejam ruins. Deu pra perceber que ele tentou um modo mais simples pra garantir um fácil entendimento. Creio que o que ele não imaginou seria uma enxurrada de ofensas dos tais xiitas defendendo suas bandas, achando que ele estava falando mal, só porque estavam no tal time B. Em momento algum foi citado por ele que tal banda é ruim ou não presta. E por causa disso, de uma simples falta de interpretação, foram insultos, socos e pontapés pra todo lado de pessoas que escrevem encherga, emploraram prescisa, adimiradores… O que eu quero dizer é que muitas vezes ele, eu, (puxa!) nós que fazemos parte da blogosfera, fora a pessoa que realmente lê, estamos sujeitos aos mais freaks que existem.

freak1
E olha que a maioria nem é assim. Uma pena! Mas se você gostou e quiser ficar assim é só torrar uns $$$ aqui e pronto!

Anúncios